Diário dos Sonhos feat. Oneiros

Pesquisa: anotar meus sonhos. Justificativa: eles são poucos e raros. Metodologia: assim que acordar, se houver algum vestígio na memória, registrar no celular.

1

Na auto estrada o Sol parece uma grande bola laranja-fruta, é fim de tarde. Estou em um motel americano com meu primeiro amor, uma guria baixinha, quase japonesa. Fecho a porta e enxergo apenas em preto e branco. Conversamos, mas não há som. Tenho a impressão que de um controle remoto alguém apertou o “mute”. Ela está sobre a cama, com as pernas cruzadas de índio e com os olhos molhados – um adeus permanente naquela vida.

2

Parado na frente de uma casa de muros baixos que chegam nas canelas. De dentro dela exala um cheiro de comida caseira. Por uma fresta da janela da cozinha, vejo uma mulher familiar. Ela está cozinhando e ruminando uma canção. Seu rosto não possui forma. Sinto um enorme amor por ela, por aquela casa e pelos cheiros dos temperos. Seu rosto sem olhos, nariz, boca e orelhas parece feliz.

3

Acordo dentro do meu próprio sonho, consciente. Não sei como obtive essa certeza. Sinto-me presente no presente; a realidade beija a pele. Vejo diversas lojas. Uma delas –  uma farmácia – chama a atenção pelo letreiro piscante. Ao contemplá-la, vejo um amigo em sua porta, vociferando: “Cu não tem sexo!” “Cu não tem sexo!” enquanto come o rabo e bate uma punheta sem culpa para um travesti.

 

Anúncios

pensamento cabeça para postar no Feice e ganhar uns likes (talvez até daquela gatinha pseudo intelectual com problemas de auto estima e que garantirá para você um sexo fácil)

Jardins são egoístas. Porque as pessoas ousam manter bem podados e em espaços limitados a réplica da alma de uma floresta inteira?

Bill Maher like this post.

Budistas furiosos (?) agridem muçulmanos no Sri Lanka. Dirigir e mostrar os cabelos são atos condenáveis para sauditas e iranianos. Comer porco e trabalhar aos sábados? Sacrilégio. Existe pessoa mais egoísta que um mestre hindu recluso? Certos pais de santo trazem seu amor em três dias. Já meu pai, pastor evangélico, disse uma vez que a Hellmans tinha pacto com o demônio. Eu não sabia que o Diabo gostava de maionese. A vida já é suficientemente difícil e esses filhos da puta a fazem ficar ainda pior.

O santo para qual rezo é São Giordano Bruno, meu mártir preferido é Thoreau. Os livros sagrados que li vieram do Patriarca Blake. Minha Meca é um bom boteco, dou várias voltas até achar um decente. Louvado seja Fante.

Penso que esse padrão deve se repetir em outros mundos. Imagine: no universo infinito, na distante Galáxia X-Taurus, os Kuluhs veneram o Grande Deus Fucks, criador dos céus e da terra e de todo o mimimi. Fazem ritos, acreditam em milagres antigos. No seu planeta existem outros povos, com outros deuses. E eles brigam. Por mulheres, por terra, pelo Deus Verdadeiro. Se foder. A imbecilidade é Universal.

Mas, apesar de tudo, não sou contra Deus, seja lá o nome que você o chame. Eu apenas não simpatizo com os seus filhos.