o homem de um livro só

o sujeito de terno parcelado estava com uma Bíblia na mão e pregava aos trabalhadores cansados das seis horas da tarde sobre o fim do mundo no ponto de ônibus. Do outro lado da rua, no ponto contrário, Samuel carregava um livro de Orwell embaixo do sovaco e imaginava que as pessoas deveriam sorrir para Deus ao invés de se curvar.

Anúncios